1 0 13003 600 0 0 http://sergal.com.br/blog 960 0
site-mobile-logo
site-logo

Arte e Galvanização a Fogo Qual a sua relação?

Arte e Galvanização a Fogo Qual a sua relação? Com toda a evolução industrial e tecnologias nós nos deparamos com um tema novo considerando todo esse desenvolvimento metalúrgico que estamos vivendo, que seria a relação entre a Arte contemporânea e […]

Arte e Galvanização a Fogo Qual a sua relação?

Com toda a evolução industrial e tecnologias nós nos deparamos com um tema novo considerando todo esse desenvolvimento metalúrgico que estamos vivendo, que seria a relação entre a Arte contemporânea e a Galvanização a Fogo.


Mas claro, quando este tema vem a tona nós nos pegamos pensando: ”Ué, Galvanização a Fogo e arte? Como um assunto tão ”rústico” e industrial tem  alguma relação com arte?”


Nós respondemos: TODA!


Como já falamos, nos países mais desenvolvidos a galvanização já esta em outro patamar.


Usando a galvanização de materiais metálicos para estética das obras, os arquitetos e engenheiros de diversos países estão não só se preocupando com problemas de estrutura, corrosão e durabilidade, como também, de sustentabilidade e estética.


Com obras inovadoras em todos os quesitos de utilização da galvanização a fogo estes colaboradores da técnica de Galvanização a Fogo tiveram seu devido reconhecimento.


Ano passado foi realizada a Intergalva para premiar estes arquitetos, engenheiros e empresas de todo o mundo.


No Brasil já temos uma obra que recebeu uma destas premiações que no caso foi a estrutura do teto da piscina da Universidade Unisantana de santos.


Nós da Sergal Galvanização a Fogo marcamos presença na conferência realizada em Berlim na Alemanha e gostaríamos de parabenizar, novamente, os empreiteiros por esta conquista.


O Brasil já está caminhando para começar a utilizar também as técnicas de Galvanização como forma de dar um tom artístico para as estruturas, mas claro sempre se preocupando com o mais importante que é a durabilidade da obra e sua sustentabilidade, devido ao fato de evitar reparos constantes e prevenir possíveis acidentes.


Aqui nós temos alguns outros obstáculos que não dependem apenas do incentivo das empresas e indústrias do ramo. Ainda há muitos problemas em questões burocráticas e políticas no nosso país mas acreditamos que com o empenhos de todos os colaboradores a Galvanização vai continuar se tornando uma exigência em obras e estruturas no Brasil.


Vamos citar alguns empreendimentos que utilizam a Galvanização não só como método de proteção mas também estético:


The Silo :

Sergal Galvanizacao a fogo - The Silo Galvanizado

Vocês conhecem ou já ouviram falar sobre o ”The Silo” (O Silo), um empreendimento em Copenhagen na Dinamarca que faz parte da transformação do porto Norte da cidade, um grande desenvolvimento pós industrial que está sendo transformado em um novo distrito.


Um antigo silo de 17 andares e o maior edifico industrial da região foram transformados no ”O Silo” com apartamentos residenciais e funções públicas.


Para trazer a fachada de concreto industrial do Silo para os padrões atuais, o exterior foi retirado mas o interior preservado o máximo possível, quase intocado. Com isso, foi instalada uma fachada angular feita de aço galvanizado servindo de escudo climático permitindo que a forma alta do prédio fosse mantida.


Um dos arquitetos fundador e diretor de criação do COBE (Comunidade de Arquitetos Dinamarquesa) disse “Queríamos manter o espírito do Silo tanto quanto possível. Tanto em termos de seu exterior monolítico como no majestoso interior de concreto, simplesmente colocando um novo sobretudo. O objetivo era transformá-lo de dentro para fora, de modo que seus novos habitantes e a vida urbana destacassem a identidade e o patrimônio da estrutura. Daí o uso de aço galvanizado para a fachada, que patina de maneira crua e mantém o caráter portuário original e a sensação do material, emprestando uma rugosidade e beleza crua à área, como em seu passado industrial. ”


Universidade de Melbourne, Faculdade de Artes :

Engenheiros e Arquitetos especializados, junto com a Universidade de Melbourne, Faculdade de Artes, deram um tom mais robusto com a galvanização para a ala Oeste da Universidade, usando material externo mas também com foco na estética pois cada forma e espaçamento da estrutura foi priorizada para sua funcionalidade e para demonstrar a capacidade artística e que a Faculdade de Artes transmite pela sua essência. Com inovações e sustentabilidade e desempenho arquitetônico fantástico.


A fachada diferente do empreendimento envolve o uso inovador e revolucionário do aço. Apresentando imagens de objetos das 24 coleções culturais da universidade. Dito isso, ela é passiva de controle solar tanto quanto uma manifestação artística e arquitetônica das aspirações da Faculdade de Artes.


A galvanização das armações de aço no exterior da fachada foram escolhidas por diversos motivos. As ”barbatanas” servem para dois propósitos, fornecer proteção solar à parede de cortina de vidro e ter imagens de objetos das Coleções Culturais da Universidade.


As imagens e objetos na fachada revelam-se em diferentes momentos do dia e em diferentes pontos de vista. Os arquitetos disseram ” A galvanização é, obviamente, uma maneira maravilhosa de proteger as estruturas de aço, mas também gostamos de efeitos manchados e cristalinos que a galvanização proporciona. Ele mudará com o tempo, de um material reflexivo brilhante para um cinza opaco. Galvanização forneceu a fachada com o tipo de superfície bruta que estávamos procurando. Nós gostamos das inconsistências que a galvanização em lote de aço de 8mm nos deu.” O empreendimento foi vencedor do prêmio Industrial da Intergalva 2018. Saiba mais sobre a conferência nesse outro post.


Teto da Piscina da UniSanta em Santos:

Teto Galvanizado Unisanta
Teto Galvanizado Unisanta

A Maresia, ao mesmo tempo boa e indicação para uma praia paulista mas também um problema para materiais metálicos e como de costume por termos um pais repleto de praias e litorais, nós sabemos muito bem sobre esse assunto.


Devido a este fato, algumas estruturas que se encontram nos litorais enfrentam grandes problemas de corrosão pois tem muita a exposição a esta maresia que é criada nas praias. Foi exatamente o que aconteceu com a estrutura do teto da piscina na Unisanta que é utilizada para treinamento de atletas de alta performance. Localizada em Santos no litoral de São Paulo esta estrutura teve deteriorações e precisou ser substituída.


Com isso, foi utilizado um novo teto galvanizado e retrátil para cobrir uma área de aproximadamente 1800 m2 garantindo segurança, durabilidade e modernidade. Vale lembrar que a piscina tem 60m.


Em toda estrutura de metal foi utilizada a técnica de galvanização a fogo. Utilizando parafusos e evitando soldas no local.


Toda essa preocupação e utilização da técnica de Galvanização foram suficientes para garantir uma durabilidade de 40 anos e isso levando em consideração o ambiente em que fica localizada onde as chances de corrosão são muito maiores e ainda por cima com a piscina que é aquecida.


A escolha de utilizar o zinco como proteção do material e técnicas de Galvanização a Fogo também reduziu os custos de manutenção e deu mais segurança à estrutura e isso com um custo da galvanização inferior a 5% dos custos da construção.


Pyramid Residential Building (Edifício residencial Pyramid) – Nova York, Estados Unidos

Edíficio Via 55 West Galvanizado

Conhecem o VIA 57WEST?


No coração de New York, ao lado do Rio Hudson é bem visível o empreendimento de galvanização a fogo. O prédio de 750 unidades localizado no bairro de Hell’s Kitchen faz alusão à uma pirâmide com uma facha íngreme de aproximadamente 142 metros de comprimento.  O edifício foi construído para dar aos moradores ótimas vistas e prevenir o barulho do tráfego da cidade. Também contém sacadas angulares e jardins incríveis.


Em um dia de sol os habitantes de Manhattan e Brooklyn conseguem ver o empreendimento em diferentes pontos dos bairros.


O Grupo Bjarke Inglês, que tem origem Dinamarquesa se juntaram com os fabricantes de aço do local e com os galvanizadores para construir uma obra que se destacasse bastante.


Devido as influências europeias do grupo onde a galvanização é usada com mais destaque nos edifícios do que na América e por garantir longevidade da estrutura ficando livre de manutenções futuras eles escolheram utilizar para a estrutura da obra a técnica Galvanização à Fogo.


O grupo completou a missão de destacar a obra em uma cidade onde existem muitas estruturas icônicas já destacadas.


Podem ter certeza, o Via 57 West vai continuar a ser uma referência quando falamos das paisagens da região e tudo isso graças à galvanização à fogo, assim, todos os habitantes podem usufruir desta linda vista.


The Saar-Polygon (Polígono do Saara) – Ensdorf, Alemanhã

Polígono do Saara Galvanizado

No cenário do fim da indústria de mineração de carvão, foi fundada uma organização chamada “Associação Bergbauerbe Saar” cujo objetivo declarado é promover o patrimônio cultural da mineração com o estabelecimento de um marco que celebra a contribuição que os mineiros tiveram na região.


Em 2012, a mineração de carvão no Saara terminou após mais de 250 anos e para criar um monumento para a região da Mineração, para os mineiros e também para olhar para o futuro, o Polígono de Saara foi erguido em Ensdorf.


O significado por trás do design da construção da grade de aço é a conexão entre o passado e o futuro do país. Mostrando o tradicional vínculo de carvão, aço e energia no Saara.


No topo da mina de carvão de Bergwerk, com uma área de cerca de 50 hectares, o monumento ergue-se cerca de 150 metros acima do vale do Saara. Devido à sua posição o polígono é visível de todas as direções.


A estrutura de aço galvanizado por imersão a quente de 30 metros de altura forma um monumento que consiste em duas torres inclinadas conectadas por uma ponte. O seu topo tem uma plataforma de aproximadamente 35 metros de comprimento e pesando 60 toneladas, sendo suportada por duas torres inclinadas com 132 degraus e 25 metros. Dependendo de que como você olha ele muda de forma, assumindo algumas formas como a de um arco retangular, um triângulo invertido, um V invertido, uma estrutura parecida com uma ampulheta e finalmente como a letra T caindo de lado. Além do que a forma de “Polígono” lembra as estruturas de suporte que foram usadas nas minas.


Magicone Water Slide (Escorregador Aquático Magicone) – Land of Legends Aqua Park, Antália, Turkia

Magicone Toboagua Galvanizado.


Este brinquedo é localizado no parque aquático ”Legends Aqua Park” localizado na costa do mediterrâneo na Turquia, um dos locais mais procurados para férias no país.


O Magicone é um novo toboágua de alta capacidade com uma experiência e design únicos. É único em termos geométricos oferecendo uma ”viagem” longa e um caminho mais excitante oferecendo mudanças diferentes e repentinas no percurso.

O seu formato é como um funil de lado e quem está na boia desce por uma queda íngreme fazendo que gire em torno do interior do funil.

No ramo de parques aquáticos o principal objetivo é garantir a alta qualidade e longa durabilidade dos projetos, por isso, devem ser desenhados corretamente e seus materiais escolhidos com cuidado. O aço é um material excelente para estes tipos de obras que concede uma liberdade no design, permitindo ser mais criativos o que resulta em uma experiência mais excitante e divertida para os consumidores.


O grupo Polin Water Parks opta por utilizar sempre a galvanização a fogo para o material metálico de seus brinquedos, ainda mais quando falamos de um brinquedo que está em constante contato com água, névoas de água, cloro da piscina e com possível corrosão quando o parque está fechado e além disso a proximidade que ele fica do mar por ser na costa mediterrânea tem que ser levado em consideração. Por isso a técnica de galvanização a fogo para proteção com capa de zinco é a melhor solução isso assegura também que não ocorram interrupções no brinquedo para reparos.


A estrutura de suporte também é inteira galvanizada, por exemplo a parte de funil é suportada por 58 toneladas de ferro galvanizado.


Magazzino Automatico Verticale (Armazém automático vertical) – Ceramica Sant’Agostino, Ferrara, Itália

Armazém automático totalmente galvanizado. Galvanização a fogo

A Cerâmica de Sant’Agostinoapós sofrer sérios danos com o terremoto que atingiu a Emilia-Romagna e a Lombardia em 2012 teve que se recuperar.


Esta tragédia fez com que o sua área de produção que havia sido destruída fosse reconstruída com um armazém vertical e automático. Este projeto era altamente inovador. Feito totalmente de aço em sua estrutura e a primeira projetada de acordo com os novos padrões técnicos de proteção contra ações sísmicas.


O projeto é único e construído para otimizar o espaço do armazém, simplificar as gestão e logística de mercadorias  e automatizar completamente a saída de pedidos. O pavilhão que comporta esta estrutura tem um comprimento de 134m com 25 de altura e 25 de largura.


Tudo é ligado a um complexo e inteligente sistema de software que distingue automaticamente qual o destino do produto no armazém, comportando também a quantidade de produtos que caberiam em 480 caminhões. Os níveis de carga são suportados por 64 estruturar metálicas com capacidade de 18.852 paletes em 13 níveis.


Toda a estrutura de aço é da classe S355JR e galvanizada com a técnica de galvanização a fogo ou a quente para proteção contra corrosão e eventuais danos e para diminuir drasticamente os reparos.


Comenius Bridge (Ponte Comenius) – Jaroměř, Republica Checa

Ponte Comenius Bridge Galvanizada

A ponte original Comenius Bridge, que foi construída em 1886 e atravessava o rio Elbe, foi destruída por uma enchente em 2013. Com isso, foi construída uma nova ponte feita por apenas uma única peça de metal, uma laje de concreto armado, uma armação transversal em forma de um triangulo de isósceles e revestida com uma superfícies de aço inoxidável polido, espelhando a superfície da ponte.


Esta não foi apenas uma missão para conectar as duas margens mas também para se preocupar com os arredores. De um lado tem uma escola e de outro uma linda praça arborizada e assim a optaram por misturar seu visual com o ambiente e não interferir nas vistas da cidade. 


A estrutura foi projetada com um conjuntos de peças galvanizadas com galvanização a fogo e foram parafusadas juntas sem nenhuma solda ou pintura adicional e devido a técnica de galvanização a manutenção só vai precisar ser realizada daqui mais de 50 anos.


A escolha de utilizar a técnica de Galvanização a fogo foi uma ótima pedida, devido ao fato das enchentes em 2013 e também pelo ambiente ao redor da ponte na cidade de Jaroměř, República Checa, que merecia um design diferenciando, respeitando o visual e a plenitude da região.


E a obra foi um sucesso! Tudo que almejavam conseguiram. Segurança, design e cuidado. Evitando reparos futuros por mais de 50 anos.


O projeto foi um dos vencedores da Intergalva 2018.

Hôtel des Communes – Les Herbiers, França

refeitura Galvanizada França

Após escolha do escritório de arquitetura de Paris ”Atelier Du Pont” pelo comitê comunitário em maio de 2013, iniciou o projeto de seu futuro Hotel des Communes (Prefeitura) na cidade de Les Herbiers na França.


Seu designer é o ateliê parisiense Atelier du Pont, associado a Michel Joyau de Montaigu. Após apresentaram ao comitê um projeto com uma arquitetura toda de vidro e metal, ele foi aprovado seduzindo o comitê pela sua elegância, sustentabilidade e durabilidade.


O local é situado em um parque público da cidade e tem um design que não interfere na funcionalidade do lugar, os espaços são bem distribuídos e todos os escritórios tem luz natural. É uma expressão da influência territorial da região e do alto nível de cooperação local.


Segundo os arquitetos, o aço galvanizado foi utilizado porque é sustentável e economicamente eficiente. Elementos galvanizados incluem os postes de fachada envidraçada, corredores ao longo da fachada e uma escadaria externa que contribui para o design do projeto, proporcionando continuidade visual, cor e reflexão de luz.


Os escritórios são agrupados em clusters para criar maiores sinergias de trabalho. As circulações curvadas e contra-curvas permitem que as pessoas caminhem através do edifício ou entrem direto na prefeitura, com uma sensação de continuidade, enquanto permanecem imersas na vegetação dos arredores. O projeto foi um dos vencedores da Intergalva 2018

Low Carbon Energy Centre (Centro de Energia de Baixo Carbono)- Greenwich, Londres, Reino Unido

Centro de Energia de Baixo Carbono Galvanizada

Situado em uma localização proeminente na entrada da península de Greenwich, adjacente ao Blackwall Tunnel, o edifício do Centro de Baixa Energia de Carbono em Londres abriga caldeiras tecnicamente avançadas e usinas combinadas de calor e energia que distribuem energia térmica por meio de uma Rede de Aquecimento Distrital (DHN) do Centro de Energia


Um importante novo marco para energia sustentável e acessível para uma das principais áreas de desenvolvimento urbano de Londres, a Península de Greenwich. Incluindo 15.700 novas residências e mais de 300.000 m² de escritórios.


O projeto conta com uma torre de combustão de 49m de altura com engenharia sofisticada e um design diferenciado e complexo para criar um conceito escultural impressionante. A estrutura de 20m de largura e 3m de profundidade foi construída a partir de cinco escadas de aço interligadas revestidas com painéis de alumínio perfurado, cada um do tamanho de um ônibus de Londres. Projetado pelo artista britânico Conrad Shawcross, o revestimento da estrutura é formado por centenas de painéis triangulares. Esses painéis triangulares quando chegam na superfície se dobram, formando padrões geométricos complexos  para criar uma superfície irregular e esculpida que brinca com os pontos de fuga e perspectiva. À noite, a iluminação produz uma série de composições inconstantes dentro da estrutura.


O artista escolheu o aço pois permitiu a criação de uma estrutura forte porém fina e altamente perfurada, além disso, o aço fez jus ao contexto histórico da Península de Greenwich e devido ao revestimento perfurado da torre de combustão, a estrutura de aço fica exposta à estes elementos, por isso, todo o aço foi galvanizado com a técnica de galvanização a fogo visando garantir um acabamento resistente à ferrugem, sustentável e evitar manutenção constantes.


ÖAMTC Headquarters (Sede ÖAMTC) – Viena, Austria

A nova sede da ÖAMTC (Automobile Touring Club) que é organização sem fins lucrativos e que oferece serviços, assistência e dentre outros para automóveis ou motos,  é um destaque arquitetônico ao longo da rodovia sudeste de Viena. O novo “centro de mobilidade” possui nove níveis de escritórios, espaços para conferências e instalações de treinamento, com uma área bruta de 27.000 m2. Este ambiente inovador de trabalho consolida cinco antigas agências locais do automobilismo, motos e do clube de turismo da Áustria.

Das oficinas de serviço ao heliporto todos os elementos do programa são dispostos ao longo de um único eixo vertical.

O edifício é um símbolo de mobilidade. Sua forma única, circular e de estrela, transmite o fato de que aqui tudo gira em torno da mobilidade e dos meios relacionados a ela e, ao mesmo tempo, demonstra a eficiência e a velocidade da organização. Por isso, tanto em termos formais quanto em termos de conteúdo, é um símbolo coerente e arquitetonicamente articulado para os telespectadores e usuários, trazendo a sensação de ter um parceiro forte e confiável. É também um sinal da autoconfiança da empresa sobre si mesma, com a qual funcionários e membros podem se identificar, portando instalações harmonizadas e extremamente organizadas, oferecendo um alto nível de interações e comunicações abertas e transparentes para atender as necessidades de clientes e funcionários.
​​​​​​​
A fachada do anel, tem um comprimento de 230m e uma altura de quase 17m, representando o destaque de design do edifício. A fachada é tanto uma barreira de ruído quanto um caminho de escape principal. Devido à localização externa, ela possui apenas uma escada de escape interna, permitindo assim um layout otimizado.

O aço galvanizado por imersão a quente foi usado na estrutura do edifício e foi projetado usando a prática BIM (Building Information Modeling) pelos arquitetos, engenheiros e empresas que executaram o projeto.

O projeto foi um dos vencedores do prêmios da Intergalva 2018.

The Green House (A Estufa) – Utrecht, Holanda

Bike Pavilion (Pavilhão de Bicicletas)- Hindenburger Platz, Mainz, Alemanhã

Refuse Collection Point (Ponto de coleta de lixo) – Haia, Holanda

Hospital Art (Arte exposta em um Hospital) – Kasukabe Medical Center, Kasukabe, Japão

ÖAMTC Headquarters (Sede ÖAMTC) – Viena, Austria

Sem categoria
Previous Post
A Universidade de Me...
0 Comments
Leave a Reply